Javascript Incompatível ⇑ topo

Guarda Municipal > Estado de São Paulo reduz homicídios dolosos em 8,2%

O Estado de São Paulo teve em 2013 a segunda menor taxa de homicídios dolosos desde 2001, quando teve início a atual série histórica. O indicador de criminalidade caiu 8,2% no ano passado, com 4.439 casos.

A taxa de homicídios, principal indicador internacional de criminalidade, foi de 10,49 casos para cada grupo de 100 mil habitantes em 2013, um dos menores do país. O índice só é maior que o registrado em 2011 (10,1). Em dez anos, a queda nos homicídios dolosos em São Paulo é de 60%.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (27) pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) no site da Secretaria da Segurança Pública.

As estatísticas mostram ainda que dezembro registrou a nona redução seguida do indicador de mortes violentas e a segunda maior variação negativa do ano, com 24,53% ocorrências a menos. 

A queda no mês passado foi puxada principalmente pela Capital, que teve 36,5% menos homicídios em dezembro, a maior redução do ano. A redução é fruto principalmente de medidas adotadas ao longo do ano passado, como as reuniões bimestrais com os chefes das polícias para discutir ações integradas, o investimento em inteligência, incluindo a implantação do Ragisp – relatório que fornece uma espécie de mapa do crime -, e a valorização das carreiras policiais.

A mais recente medida para prevenir e combater a criminalidade no Estado é a adoção do plano de metas, que vai premiar os policiais que conseguirem reduzir indicadores estratégicos. Para o primeiro trimestre deste ano, a meta é reduzir em 7% o número de vítimas de letalidade violenta, que inclui tanto homicídios dolosos quanto os latrocínios. Este último apresentou alta de 10% em 2013.

Outros indicadores

Embora a maioria dos indicadores de crimes contra o patrimônio tenha crescido no ano passado, os furtos tiveram leve redução, de 0,44%, com 2.422 registros a menos. No mês de dezembro, a redução foi de 7,21%.

A maior alta foi no roubo de veículos, que aumentou 13,18% no ano passado.

Mais prisões

Em 2013, a eficiência das polícias Civil e Militar alcançou um patamar recorde em relação às prisões. Preparação e inteligência foram algumas das estratégias adotadas para a realização de 168.808 prisões em todo o Estado, a maior quantidade desde 2001.

Em comparação ao período de janeiro a dezembro de 2012 – quando foram feitas 145.441 prisões – houve um aumento de 16,07% do indicador de produtividade policial, ou 23.367 registros a mais. 

Para o mês de dezembro, o número também foi o maior da série histórica, com 12.879 prisões realizadas. O total é 9,25% superior ao contabilizado no mesmo mês de 2012. 

Mais apreensões de drogas e armas 

Outro recorde das polícias foi nas apreensões de drogas ou prisões de traficantes. Os 43.556 flagrantes registrados representam a maior quantidade desde 2001. Em relação ao ano de 2012, o aumento foi de 5,94%. 

Esse tipo de ocorrência depende da ação policial e o seu crescimento indica uma maior eficiência das polícias Civil e Militar para apreender drogas e prender traficantes.

O número de armas de fogo retiradas das ruas também cresceu. As polícias apreenderam 18.844 armas ao longo do ano e 1.481 somente no mês de dezembro. O indicador de produtividade policial cresceu 0,55% no ano e 1,58% no último mês de 2013. (SSP)

 

Campo Limpo Paulista não registra morte

 

Segundo levantamento feito pelo Jornal de Jundiaí, subiu para 12 o número de assassinatos registrados nos nove municípios abrangidos pela Delegacia Seccional de Jundiaí, incluindo a cidade-sede, desde o começo do ano.
Apenas Campo Limpo Paulista, Morungaba e Cabreúva não registraram a ocorrência de tal modalidade criminosa, afirma a publicação.





Copyright © Prefeitura - 2013 - 2014 - Todos os direitos reservados.