Javascript Incompatível ⇑ topo

Notícias > Hospital de Clínicas volta a realizar partos

Nicoly e Miguel. Esses são os nomes dos primeiros bebês nascidos no Hospital de Clínicas, de Campo Limpo Paulista, em 2017. Ambos chegaram no final da tarde desta quinta-feira (5), dia em que a Prefeitura passou a administrar o Hospital e rompeu o contrato com a Federação Nacional das Entidades (Fenaesc).

O parto dessas e outras três crianças só foi possível por conta da contratação direta de novos profissionais realizada por determinação do prefeito dr. Japim Andrade. Por falta de médicos, o município ficou quase um mês sem realizar esse tipo de procedimento.

Agora, com a gestão municipal, o Hospital tem no período diurno 10 médicos, entre eles pediatra e obstetra, e outros 8 no período noturno. Também foi realizada a compra de materiais e medicamentos.

“A atenção dos funcionários, rapidez e a qualidade do serviço é ótima. Foi muito bom poder ter minha filha aqui”, disse a moradora de Campo Limpo Paulista, Jenifer da Silva, de 18 anos, mãe da Nicoly. A jovem, que passou por essa experiência pela primeira vez, fez uma cesárea. “Eu estava nervosa, mas fiquei tranquila com o apoio recebido por enfermeiros e médicos.”

Assim como ela, a moradora de Várzea Paulista Vanusa de Souza, de 24 anos, deu à luz ao terceiro filho, o Miguel. “Eu já tinha vindo ao Hospital outras vezes e fui informada da falta de obstetra. Para a minha felicidade, no dia do parto, o serviço já estava funcionando novamente. Saber que agora posso contar com esse atendimento me deixa mais segura.”

A expectativa é, com o retorno do atendimento para gestantes, realizar cerca de 100 partos de baixa complexidade mensalmente, já que a cidade é referência para municípios como Várzea Paulista e Jarinu. Após o parto, as gestantes são acompanhadas pela equipe do hospital por um período de 48 horas.

Segundo a enfermeira Roseneide Maximiliano, a importância da amamentação é o tema mais trabalhado. “Logo nas primeiras horas após o nascimento, orientamos as mães sobre a posição correta para elas e para o bebê. A ideia é de que a amamentação ocorra pelo menos até os dois anos de idade.”

O hospital

O secretário de saúde, Luis Fernando Tofani, lembra que o período é de transição no Hospital de Clínicas e pede o apoio e compreensão da população. “O impacto dessa mudança é positivo. Temos agora uma relação direta com o corpo clínico. A expectativa é de redução no tempo para atendimento e melhoria no serviço prestado. A saúde é nossa prioridade.”

O Hospital conta com 58 leitos e faz, aproximadamente, 11 mil atendimentos ao mês.



Compartilhe

Confira outras Noticias
Copyright © Prefeitura - 2013 - 2017 - Todos os direitos reservados.